Programa de IST/Aids de Sergipe promove ação interestadual em Penedo, Alagoas

Por Luiza Sampaio

altAtravés do Programa Estadual de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST/Aids), a Secretaria de Saúde (SES) de Sergipe promove nesses próximos dois dias (23 e 24 de setembro), uma ação interestadual. Trata-se da “I Oficina de Prevenção”, atividade destinada aos profissionais de saúde de Sergipe (municípios da Região do Baixo São Francisco) e Alagoas (com a participação das cidades de Penedo, Igreja Nova e Piaçabuçu).

 

O evento ocorre no município alagoano de Penedo, contando, inclusive, com o apoio da Prefeitura local. “O foco principal é motivar os profissionais para ações de prevenção junto às populações vulneráveis, ampliando, também, a oferta dos testes rápidos na região”, ressalta o gerente do Programa Estadual de IST/Aids, o médico Almir Santana. 

 

A oficina vai trabalhar informações sobre a prevenção combinada, uma nova estratégia que surge para fortalecer o enfrentamento à epidemia de HIV. “O método consiste no uso do Tratamento Como Prevenção (TCP), a Profilaxia Pós-exposição (PEP) e a Profilaxia Pré-exposição (PrEP), além da essencial utilização da camisinha”, explica. 

 

altTambém será destacada a importância dos municípios manterem um acompanhamento da situação dos casos de HIV positivos, além da essencial melhoria do pré-natal. Hoje à noite, haverá uma atividade de prevenção nas zonas de prostituição de Penedo, já que o índice de prostituição nessa região tem aumentado muito.

 

Já no sábado, a Unidade Móvel Fique Sabendo irá disponibilizar os testes rápidos na feira do município.

 

“Pretendemos expandir a ação para outras cidades que fazem divisa com o nosso estado, mantendo o monitoramento das ações e fortalecendo o trabalho de prevenção e cuidado com a população”, conclui Almir Santana.

Assistência continuada: Ambulatório de Retorno do Huse contabilizou 1.624 atendimentos de janeiro a agosto

Por Júnior Matos

altEstrategicamente posicionado no Pronto Socorro, o Ambulatório de Retorno do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse) é mais um importante serviço prestado aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado. O setor, que presta assistência com qualidade mediante os agendamentos dos retornos, já realizou 1.624 de janeiro a agosto deste ano.

 

“O serviço contempla ortopedia geral (sendo o mais procurado), de mão, cirúrgico pediátrico, cirurgia plástica, cirurgia geral, clínica médica, urologia, mono traumas, bucomaxilofacial e vascular. A oferta dos serviços acontece sempre de forma estruturada e humanizada, qualificando a eficiência e a Rede de Urgência e de Emergência do SUS”, ressalta a gerente do Ambulatório de Retorno/Huse, Wandressa Nascimento.

 

Para ter acesso, o paciente deve obedecer critérios clínicos, e também, seja referenciado ao serviço.

 

“Os atendimentos são feitos após o paciente ser avaliado pela especialidade que atende a sua demanda. Depois, ele é encaminhado para a triagem para avaliação ou se vai necessitar de algum procedimento cirúrgico. Caso necessite dessa intervenção, o paciente é regulado para o Hospital da Polícia Militar (HPM) com data, horários e exames pré-operatórios”, reforça.

 

O paciente Eliânio Gomes, 29, vem recebendo assistência do Ambulatório de Retorno do Huse. Ele sofreu um acidente de moto e teve fratura no maxilar. “Fiquei internado no Huse durante sete dias recebendo assistência. Realizei cirurgia e agora já estou sendo acompanhado pelo Ambulatório de Retorno. Estou gostando muito da atenção dos profissionais”, declarou.

 

altEstrutura

 

A equipe multiprofisional do Ambulatório de Retorno é composta por 12 profissionais entre médicos, enfermeiros, auxiliares, técnicos de enfermagem e recepcionistas. O setor possui uma estrutura completa que inclui consultórios, salas de enfermagem e conta com a ortopedia localizada dentro da unidade, integrando os serviços.

 

Ambulatório de Retorno do Huse funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h.

Sistema de Acolhimento e Classificação de Risco contribui com a resolutividade da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes

Por Morgana Barbosa

altPara garantir aos Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) maior qualidade no atendimento e no acesso aos serviços da Rede Estadual de Saúde, a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) adota estratégias de Acolhimento e Classificação de Risco. O mecanismo contribui com a agilidade e a resolutividade nas demandas.  

 

Referência Estadual na assistência materna e neonatal de alto risco, a unidade recebe de forma humanizada uma média de 1.491 usuárias por mês. Somente entre os meses de janeiro e agosto deste ano, 11.459 pessoas buscaram atendimento na unidade que trabalha em sistema “porta aberta”.

 

É com base nas diretrizes do Protocolo Estadual de Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia que as pacientes são acolhidas, desde a recepção até a avaliação. A partir daí recebem os encaminhamentos cabíveis.

 

“O acolhimento acontece desde a recepção da usuária na unidade. A partir daí as pacientes passam por uma triagem que acontece mediante critérios estabelecidos em protocolo Institucional com o objetivo de identificar as prioridades para o atendimento. São levadas em consideração a necessidade de saúde, gravidade de risco e situação de vulnerabilidade de cada uma”, esclarece a gerente do Pronto Socorro da Unidade, a enfermeira Lourivânia Prado.

 

Entre os critérios utilizados para estabelecer a classificação de risco estão: queixas da paciente ou relato do acompanhante, breve histórico com consulta ao cartão de pré-natal e sinais vitais. É a partir da avaliação desses e outros dados que é estabelecida a classificação.

 

São cinco as categorias nas quais a usuária pode ser encaixada. A identificação é realiza pelas cores vermelha, laranja, amarela, verde e azul. Cada uma delas sinaliza o grau de complexidade da paciente e direciona às condutas.

 

“A vermelha indica prioridade máxima, com necessidade de atendimento imediato. A laranja faz referência à prioridade 1, que prevê urgência com atendimento médico em até 10min. Já a Amarela prevê o atendimento em até 30 min. Na sequencia, são indicadas respectivamente a verde (prioridade 3) e a azul (prioridade 4), nestes dois últimos casos as paciente podem ser referenciadas à outras unidades de saúde”, explica Auciliadora Varjão, coordenadora do Pronto Socorro da MNSL.

 

altPrioridade

 

O público alvo da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes é justamente aquele indicado pelas cores amarela, laranja e vermelha, ou seja, as pacientes com gestação de alto risco. 

 

“Essas pacientes apresentam patologias, ou complicações, relacionadas à gestação. Os principais casos são hipertensão, diabetes, cardiopatia e a ruptura prematura de membranas”, revela a coordenadora do Pronto Socorro da MNSL.

 

A unidade oferece o atendimento especializado às gestantes de alto risco. Os serviços contam com a atuação de uma equipe multiprofissional.

Hemose leva cadastro de medula óssea para Faculdade Mauricio de Nassau

Por Rosângela Cruz

altNa última quinta-feira, 22, o Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) realizou uma ação para o cadastro de medula óssea na Faculdade Maurício de Nassau, em Aracaju. 

 

De acordo com Rozeli Dantas, gerente de Captação do Hemocentro de Sergipe, a iniciativa teve como objetivo estimular a multiplicação das informações sobre o cadastro para ampliar o número de inscritos no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

 

“Esses alunos serão os divulgadores da campanha para o cadastro de medula óssea que faremos em parceria com a faculdade. Os estudantes voluntários poderão colaborar ajudando no preenchimento do formulário com informações pessoais do candidato a doador de medula. Este é o primeiro passo para se inscrever no Registro Nacional”, pontuou.

 

Na ocasião, a assistente social reforçou as informações relativas ao cadastro de medula óssea. Dentre os critérios para fazer o cadastro é necessário estar bem de saúde, ter entre 18 e 55 anos e não ter doenças infecciosas. Os voluntários devem apresentar um documento oficial com foto, válido em todo território nacional, em seguida preenchem um formulário com informações pessoais.

 

A coordenadora da Saúde da Faculdade Maurício de Nassau, Daniela Gondim, participou da palestra junto com os estudantes. “Esse momento preparatório é uma forma em que todos os lideres e vice-líderes envolvidos podem tirar dúvidas e saber como irão abordar o tema com os colegas sobre a campanha. Eles serão futuros profissionais da área de saúde, por isso, é importante adquirir essa consciência da importância dos serviços”, completou.  

 

altMedula óssea

 

Para fazer parte do cadastro de medula óssea também é coletada uma amostra com 5 ml de sangue. O material é encaminhado para análise no laboratório de Histocompatibilidade (HLA), que verifica as características genéticas entre o doador inscrito no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) e o receptor, inscrito no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (Rereme).

 

Essas informações ficam no banco de dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Mais detalhes sobre os serviços através dos telefones (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Projeto Salve começa a atuar em empresas sergipanas

Luiza Sampaio

altA corrente de assistência à vida começou. Nesta terça-feira, 21, integrantes do Projeto Salve, desenvolvido através da parceria entre o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe), a Sociedade Médica de Sergipe (Somese), o Corpo de Bombeiros Militar e a Cooperativa dos Anestesiologistas (Coopanest-SE), capacitaram o primeiro grupo de pessoas para a identificação imediata de uma parada cardiorrespiratória e o início das medidas de socorro.

 

Os trabalhos foram realizados com colaboradores da TV e FM Sergipe e do Portal de Notícias G1. Segundo o coordenador do Núcleo de Educação Permanente do Samu, Ronei Barbosa, a escolha da empresa não foi por acaso.

 

“Além do interesse, levamos em conta, também, o fato deles possuírem um Desfibrilador Externo Automático (DEA), equipamento que aumenta, e muito, as chances de sobrevida do paciente. Nesse primeiro momento, o projeto irá focar nas instituições que tenham o aparelho, para otimizar a utilização do recurso”, ressalta.

 

altOs funcionários assistiram a uma exposição teórica e, em seguida, transitaram por quatro estações práticas de ensino-aprendizagem para fixação do conteúdo.

 

“Nas duas primeiras o curso explica como identificar uma parada cardiorrespiratória. O aluno recebe, inclusive, uma cartilha explicando todas as etapas do procedimento, da identificação da parada à realização adequada das compressões torácicas efetivas”, informa. Na terceira estação é demonstrada a instalação e o manuseio do Desfibrilador Externo Automático.

 

“Na quarta e última estação todos os passos são reunidos e o aluno tem a oportunidade de simular um atendimento, colocando em prática todos os conhecimentos que adquiriu no treinamento”, complementa Ronei Barbosa, lembrando que a capacitação começa e termina com a aplicação de um teste, a fim de avaliar o nível de informação que os participantes têm, antes e depois do curso aplicado.

 

“Só após a conclusão de todas as etapas os participantes serão considerados socorristas permanentes”, enfatiza.  

 

altContínuo

 

De acordo com o coordenador do Núcleo de Educação Permanente do Samu, o Projeto Salve tem um importante diferencial. “Não é somente treinar e ir embora. Manteremos um monitoramento por até três meses de todas as empresas e instituições que passarem pela capacitação, aplicando simulados para avaliar o nível de aprendizagem e voltando se for necessário”, ressalta. Após um ano, os facilitadores retornam e aplicam uma nova avaliação, com o intuito de certificar o curso.   

 

Para a jornalista Tirzah Braga, que participou do treinamento, a iniciativa dos envolvidos merece todo destaque. “Presenciar um caso de parada é uma situação que qualquer um pode vivenciar. E hoje, aprendi que com um pouco de conhecimento, posso ajudar a salvar uma vida. É importante destacar também o fato do curso ser realizado no nosso local de trabalho, um ambiente com muitas pessoas onde a probabilidade de um caso desses acontecer é grande. Preparar os colaboradores é essencial”, opina a colaboradora.

 

Ação no shopping

 

No próximo sábado, 24, o Projeto Salve estará na praça de alimentação do Shopping Jardins, das 10h às 22h, demonstrando os procedimentos de reconhecimento da parada cardíaca e as manobras de ressuscitação cardiopulmonar, e esclarecendo a população sobre a importância da iniciativa. “Desta forma, além dos socorristas permanentes, formados durantes as capacitações institucionais, formaremos, também, os chamados socorristas flutuantes, que irão adquirir algum nível de conhecimento nessas ações abertas”, explica Ronei Barbosa.